Conheça 7 vantagens da contabilidade online

,

O serviço de contabilidade online já está se consolidando no Brasil e se apresenta como uma ótima opção aos escritórios tradicionais de serviços contábeis. Mas você deve estar se perguntando: será que esse é um serviço adequado para o meu negócio? Antes de torcer o nariz ou duvidar da facilidade desse serviço, acompanhe o nosso raciocínio.

Muitos segmentos estão passando pela grande transformação ancorada na Internet. O consumo de música e filmes tem um novo formato, as opções de estadia em viagens foram muito ampliadas com as plataformas de booking online e os serviços de transporte de passageiros, a cada dia, oferecem novidades.

Esse movimento tecnológico deve, cada vez mais, ampliar o seu alcance e chegar também às pequenas e médias empresas, diminuindo os custos dessas organizações. Aliando praticidade, rapidez e segurança, a utilização da contabilidade online já é uma realidade implantada em algumas empresas.

Hoje, vamos demonstrar que sim, as empresas só têm a ganhar adotando a contabilidade online. Confira, agora, os benefícios adquiridos com o uso desse serviço.

1. Melhoria no acesso aos dados financeiros e contábeis da empresa

Um login e senha é disponibilizado para que você possa realizar o acesso a qualquer hora e de qualquer lugar. A integração multiplataforma oferece a possibilidade de que usuário faça o acesso por meio de qualquer dispositivo eletrônico, permitindo acompanhar a evolução dos dados financeiros e contábeis da empresa quando quiser.

Por exemplo, basta uma simples configuração para que você possa acompanhar tudo o que acontece na sua empresa pelo seu smartphone, permitindo que você saiba qual é o andamento das finanças da empresa sem a necessidade de se deslocar até o escritório.

2. Rapidez e facilidade ao solicitar suporte técnico

Se você está acostumado a utilizar os softwares tradicionais, muito provavelmente já tenha presenciado situações nas quais um posto de trabalho fica inoperante, por horas ou até mesmo dias, até que um técnico vá ao local para realizar as correções necessárias. Sabe também que isso, normalmente, significa um aumento de custos com substituição de peças e atualização de softwares e sistemas operacionais.

Uma das vantagens do nosso sistema é que o dispositivo do cliente torna-se apenas um intermediário de armazenamento entre a contabilidade e o aplicativo de gestão, simplificando as exigências tecnológicas requeridas.

Em outras palavras, esse modelo não exige computadores complexos para o seu funcionamento e nem mesmo utiliza grande capacidade de processamento para realizar suas operações. Isso aumenta a vida útil dos computadores e evita custos que seriam necessários para manutenção das máquinas.

Diante de qualquer dificuldade que possa surgir, com um sistema de contabilidade online os clientes dispõem de contadores e equipes completas de profissionais da tecnologia da informação que estão aptos a resolver os problemas que impeçam a boa realização dos trabalhos. Isso tudo pode ser feito de forma rápida e prática, com o auxílio do suporte online.

3. Garantia no armazenamento de documentos importantes

Atualmente, os riscos de ataques cibernéticos às organizações têm aumentado a cada dia. Recentemente, um ataque hacker de proporções inéditas prejudicou grandes e pequenas empresas em mais de 150 países, causando milhões de dólares em prejuízo.

Dessa forma, utilizar um software antivírus não parece mais ser suficiente para proteger a informação estratégica das corporações, especialmente aquelas que não dispõem da tecnologia como atividade principal de suas operações.

A utilização de um escritório contábil online contribui imensamente para proteger as informações corporativas. Nesse sistema, a transmissão dos arquivos ocorre praticamente em tempo real, de tal forma que todos os documentos, relatórios e notas fiscais estão assegurados até mesmo diante de uma simples queda de energia no computador do cliente.

Além disso, uma vez que os escritórios online dedicam-se exclusivamente a administrar a informação financeira e contábil das empresas, firmam parcerias com empresas de tecnologia que estão capacitadas a oferecer as melhores soluções em segurança da informação.

Portanto, ao eliminar a existência de documentos físicos, suas informações e arquivos digitais estarão mais seguros em bancos de dados e servidores de armazenagem em nuvem, garantindo a proteção das informações financeiras e contábeis de sua empresa diante de instabilidades técnicas ou ataques cibernéticos.

4. Praticidade ao acessar informação relevante para tomada de decisão

Com um sistema de contabilidade online, você terá documentos e informações disponíveis 24 horas. Dessa forma, terá em mãos os dados mais recentes da sua empresa para tomar decisões, mantendo a competitividade de suas metas frente aos concorrentes e preparando o cenário para realização de investimentos.

Em posse dos relatórios consolidados, torna-se mais fácil e intuitivo tomar decisões estratégicas, por exemplo, contratação de mais mão de obra, reelaboração de processos, realização de campanhas promocionais e até mesmo adotar estratégias mais intensivas, como aumentar o investimento em publicidade a fim de ampliar a participação em novos mercados.

Além disso, você ainda poderá estimar qual será o valor pago aos funcionários em bonificações, participações de lucros e até mesmo projetar o percentual ideal para o pagamento do seu pró-labore.

Com base na perspectiva de alcance das metas estratégicas, os resultados enviados à plataforma digital servirão, permanentemente, como um termômetro que medirá o ritmo de produção das equipes de trabalho.

5. Possibilidade de estimar o pagamento de tributos

A plataforma digital permite que a contabilidade online tenha o melhor custo-benefício para empresários de pequeno e médio porte. Imagine só como seria fazer a estimativa do pagamento de impostos e tributos muito antes do fechamento do exercício?

Com isso, você poderá estimar com maior facilidade a sua margem de lucro, dispensando imprevistos que infelizmente impactam nas expectativas de muitos empresários desprevenidos.

Muitas vezes, pode-se notar que é viável até mesmo alterar a modalidade de tributação utilizada no negócio.

6. Praticidade na elaboração da escrituração contábil

Você vai até o contador com uma série de documentos, papéis e pastas. Na hora de organizar as entregas, é uma confusão sem tamanho.

Esqueça essa rotina e torne mais prática a escrituração contábil da sua empresa. Com a contabilidade online, os documentos são todos digitalizados e recebidos por meio de plataformas digitais.

7. Opção de arquivar documentos relevantes por tempo indeterminado

O Código Tributário Nacional exige que documentos contábeis sejam armazenados por, pelo menos, 5 anos. Outros dispositivos da legislação exigem que outros documentos de natureza financeiro-contábil sejam arquivados por 10 anos ou mais.

Com a contabilidade online você poderá armazenar os documentos da sua empresa por tempo indeterminado, evitando imprevistos decorrentes da aplicação das multas do fisco.

Acha que economizar tempo pode ser um grande benefício na correria da sua rotina? Faça uma simulação e saiba quanto você economizaria tendo o ContaÁgil como seu serviço de contabilidade. Venha ser nosso cliente!

Entenda de uma vez por todas como registrar uma empresa

Você decidiu empreender e ser dono do seu próprio negócio, ou talvez sua empresa até já esteja funcionando na informalidade, e agora você está na dúvida sobre como fazer o registro?

A burocracia no Brasil é grande e as etapas são muitas, mas nós podemos lhe ajudar. Com este guia você vai aprender tudo o que precisa sobre como registrar uma empresa. Vamos começar falando das vantagens do registro e depois passamos para o manual de instruções, combinado? Boa leitura!

Qual a importância de fazer o registro da empresa?

Há quem pense ser vantajoso deixar a empresa operar na informalidade, ao menos por um certo período, na tentativa de evitar o pagamento de impostos e adiar o gasto de tempo e dinheiro com a burocracia. No entanto, essa não é uma boa ideia!

Uma empresa informal está exposta a processos fiscais e trabalhistas. Além do risco de pagar multas, a informalidade é um obstáculo ao crescimento. Sem o registro, sua empresa não pode emitir nota fiscal, ter uma conta bancária registrada no CNPJ, obter empréstimos, contratar funcionários com carteira assinada ou fechar contratos com clientes.

Por isso, se você ainda está pensando em abrir um negócio, lembre-se de fazer o registro o quanto antes.

Como registrar uma empresa: passo a passo

O registro de uma empresa no Brasil envolve muitos processos, podendo levar alguns dias e até vários meses para que tudo seja resolvido. Para lhe ajudar, vamos resumir a seguir as etapas mais importantes.

1. Contrate uma empresa de contabilidade

A menos que sua empresa ainda seja MEI, a lei obriga a contratação de um contador ou serviço de contabilidade. Mesmo que não fosse obrigatório, essa deveria ser sua primeira etapa de qualquer forma.

Um bom contador fornece orientações que ajudam a empresa a crescer e evitar problemas. Ele poderá, por exemplo, avaliar o seu negócio, indicando qual regime tributário deve ser adotado para a sua empresa pagar menos impostos.

Também pode dar dicas sobre isenções fiscais oferecidas em certa cidade, região ou segmento. Para poupar tempo, a contabilidade online é uma ótima opção!

2. Estruture o contrato social da empresa

O contrato social é a alma jurídica da empresa. É um documento de grande importância, e também exigido em situações burocráticas corriqueiras. Por exemplo, para que a conta de luz seja emitida em nome da organização, a companhia de eletricidade vai exigir uma cópia do contrato social.

O contrato social inclui o objetivo do negócio e as atividades que ela vai exercer. É possível que seu advogado ou contador lhe oriente a incluir atividades que não são realizadas ainda, mas que você pretende investir no futuro para não precisar alterar o texto depois. Lembrando que as micro e pequenas empresas são legalmente dispensadas da assinatura de um advogado no contrato social.

No documento devem constar a participação de cada sócio e a composição de suas cotas. Se um dos sócios for também o administrador, o texto deve especificar o pró-labore, ou seja, a remuneração desse sócio.

O pró-labore não tem as mesmas regras rígidas do salário e pode não incluir benefícios, como férias e 13º, por exemplo. Mas é importante que o valor seja mais alto do que o salário de um funcionário para não despertar suspeitas sobre sonegação.

3. Faça o registro na junta comercial

Se o contrato social é a alma, o registro na junta comercial é como se fosse a certidão de nascimento da sua empresa. A partir do registro na junta, a empresa passa a existir oficialmente. Normalmente essa etapa exige documentos pessoais dos sócios e o contrato social. Daí a importância de seguir esses passos na ordem!

A Junta Comercial vai fornecer o Número de Identificação do Registro de Empresas (NIRE), com o qual pode ser obtido o famoso CNPJ. 

4. Solicite o Cartão CNPJ

A boa notícia é que esta etapa é feita inteiramente online. Por meio de um programa da Receita Federal, o administrador insere o NIRE da Junta Comercial e pede o cartão com o número do Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), que é o CPF das empresas.

O Cartão CNPJ inclui as principais atividades da empresa, conforme constam no contrato social  essa classificação serve para definir a tributação. O governo mantém uma grande lista chamada Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) que atribui as alíquotas para os diferentes setores da economia.

5. Verifique a necessidade de Inscrição Estadual

Conforme a legislação do estado onde atua sua empresa e o setor de atividade, poderá ser preciso ou não fazer a Inscrição Estadual. Em geral, as empresas de serviços são isentas enquanto para comércio e indústria ela é obrigatória.

A Inscrição Estadual é usada para recolher o ICMS, que é a principal fonte de arrecadação dos governos estaduais. Ou seja: é daqui que sai o dinheiro para pagar as estradas, as escolas estaduais e o funcionamento da polícia.

6. Providencie o alvará de funcionamento

Esta etapa é com a prefeitura da cidade onde a empresa vai atuar. Em algumas legislações municipais, basta levar o Cartão CNPJ na Secretaria Municipal da Fazenda ou órgão equivalente.

7. Realize o cadastro na Previdência Social

Além do cadastro na Receita, falta o registro em mais um órgão federal: a Previdência Social. Mesmo que a empresa não tenha funcionários por enquanto, é preciso cumprir essa etapa.

Isso assegura que ela vai assumir obrigações trabalhistas e tributárias com a Previdência e evitar dores de cabeça no futuro.

Como registrar uma empresa vai ajudar nos seus negócios

Ter uma empresa registrada oferece enormes vantagens e impede problemas com o fisco e com a Justiça. Além disso, permite contratar funcionários com carteira assinada, evitando ações trabalhistas no futuro. E, claro, é pré-requisito para que seu negócio possa crescer, dando acesso a linhas de crédito, emissão de notas fiscais e a possibilidade de fechar contratos. 

Esperamos que este artigo tenha sido útil para tirar suas dúvidas sobre como registrar uma empresa. Agora que você está pronto para começar, entre em contato com a ContaÁgil e comece a mudar o futuro do seu negócio com a contabilidade online.

Conta Ágil destaca a importância de uma boa contabilidade

As empresas, seus sócios e administradores podem ser condenados por leis comerciais, civis e penais de várias formas, principalmente pelo fato de não manter em ordem sua Contabilidade.

A Contabilidade é a alma da sua empresa, e isso deve ficar bem gravado na sua cabeça. É nela que tudo fica registrado. Por isso mesmo, é importante manter a documentação atualizada e sempre adequada, bem como fazer transações negociais dentro do objeto da empresa. O resultado é uma Contabilidade transparente.

Se você não tem esse cuidado com a documentação de suas transações operacionais, faz negócios fora do objeto social, mistura ou confunde bens particulares do sócio e da empresa, comete desvios ou até mesmo contrata profissionais despreparados, nem precisaríamos dizer, mas vamos fazê-lo para ressaltar: sua Contabilidade tem problemas, que podem ser utilizados para incriminar a empresa, sócios, administradores e contador que foram relapsos e desleixados.

Os administradores, especialmente os de empresas de médio e pequeno porte, não se preocuparem com a Contabilidade, atribuindo a mesma apenas como uma responsabilidade do contador. Porém a verdade é que ninguém quer ser acusado de crime fiscal, ter indisponibilizados seus bens ou dos sócios e administradores, pagar pesadas multas ou tributos, pedir concordata ou declarar falência, certo?

Então fique atento a essa dica da ContaÁgil: é dever não só dos contadores, mas também dos administradores das empresas conhecerem a definição de crimes, fraudes, dolos, erros, simulações, arbitramentos fiscais, distribuição de lucros, responsabilidade; além de priorizar uma escrita contábil saudável, como prova a favor da empresa nos mais variados embates que podem ocorrer.

E aí também deve se destacar a importância – e até necessidade – da Auditoria como complemento da Contabilidade nas suas mais variadas áreas.

Conciliação Contábil – Contabilidade Sem Incorreções Para Evitar Fraudes

Para que não haja fraude no trabalho do contador, ele não deve apenas evitar procedimentos errôneos. Deve, ainda, manter em ordem a Contabilidade da empresa. Como se faz isso? Conciliando a Contabilidade com os documentos e os diversos relatórios dos demais setores que dão suporte aos lançamentos contábeis, elaborando planilhas, relatórios e composição dos saldos da contas contábeis, ou seja, planilhas auxiliares que comprovem a correção dos saldos existentes na contabilidade.

Migre agora para o ContaÁgil e tenha segurança e agilidade em sua rotinas contábeis.

Ter a certeza de que os saldos contábeis estão corretos depende da empresa e, quanto mais houver o confronto dos relatórios de cada setor com a Contabilidade, maior será a precisão das informações contidas no Balanço Contábil dessa empresa.

Assim sendo, fica claro que a Contabilidade é um espelho da realidade da empresa, e protege os sócios, os administradores e o próprio contador de responderem com seus bens pessoais em questionamentos tributários, civis, comerciais, penais e criminais, e sendo a prova de que os mesmos não agiram de má fé, de nenhuma maneira.

Ao empreendedor de primeira viagem: seis dicas para o sonho do seu negócio não virar um pesadelo

Embora empreender seja o sonho de muitos brasileiros, ao se tornar uma realização, isso pode virar pesadelo. Parte disso se deve a alguns obstáculos que enfrentam aqueles que entram nesta empreitada – inclusive criados pelo próprio mercado brasileiro. Mas o principal fator, acredite, são erros de planejamento e execução cometidos pelo próprio empresário.

O Brasil ocupa a posição de número 127 no relatório Doing Business, do Banco Mundial, que leva em consideração aspectos que vão desde tempo médio gasto para se abrir uma empresa até legislação tributária dos países analisados. Estamos atrás de nomes como Botswana, Chipre, Etiópia. Acredite! Ter conhecimento disso só reitera o quanto empreender no Brasil é uma tarefa complicada, e ainda atrasada ao nos compararmos a países com economias centrais e desenvolvidas.

Já um estudo do SEBRAE-SP descobriu que, até 2010, 58% das empresas foram extintas antes de completarem seu 5° ano de existência. Motivo principal? Novamente a inexperiência dos empreendedores. Porém, isso pode ser trabalhado a fim de aumentar a as chances de sucesso. E esse é o objetivo dessa lista preparada pela ContaÁgil Contabilidade Online:

1. Conheça seu negócio

Além de variáveis como localização, estrutura física do empreendimento, publicidade e público alvo, o conhecimento da operacionalização de todo empreendimento – fornecedores, logística, contratação de funcionários, horário de funcionamento, pós venda – pode diferenciar os vencedores. Tudo isso deve ser feito na fase de planejamento do negócio. Ou seja, o seu Plano de Negócios deve ser minucioso e rico em detalhes que orientem toda operação.

2. Avalie bem o custo do capital próprio e do capital de terceiros

A alta taxa de juros no Brasil tende a desestimular o investimento empreendedor, e o motivo é bem simples: você quer mesmo arriscar seu capital quando os títulos públicos no Brasil – e praticamente livres de risco – estão pagando cerca de 12% ao ano (LTNs com vencimento em dois anos, por exemplo)?

Este elevado custo de capital no Brasil é motivo de discussão entre economistas há algum tempo, e o seu reflexo imediato é o elevado spread bancário brasileiro, a diferença entre a taxa de juros que as instituições financeiras pagam na captação do dinheiro e a que cobram dos clientes. De uma maneira mais simples é como dizer que a taxa de juros é o preço do dinheiro, e se ela é uma taxa básica de juros em 11,75%, temos o dinheiro mais caro entre as principais economias do mundo. Fruto direto da política monetária brasileira, isto representa um sério desestímulo à atividade produtiva brasileira.

Estes fatores tornam os financiamentos produtivos muito onerosos para os empreendedores. Então se trata de uma peça-chave na decisão de se começar um negócio. Afinal, o retorno projetado tem de ser superior a este custo inicial de capital.

3. Não subestime a carga tributária para seu empreendimento

Uma afirmação simples e direta: sim, você vai gastar muito tempo para entender como recolher os impostos que você deve pagar, e também o motivo pelo qual se paga tanto. Então não veja uma assessoria contábil como apenas mais um custo: ela é fundamental para colocar sua empresa nos trilhos.

Impostos como o ICMS e ISS vão fazer parte de sua rotina, então é preciso ficar atento à forma correta de recolhimento de ambos no seu negócio. Há ainda os impostos sobre a renda (Imposto de Renda) e as contribuições sociais (CSLL, COFINS), por isso é bom atentar para uma estratégia tributária na fase de planejamento.

4. Estabeleça preços e política comercial de forma correta

Embora pareça simples, a correta precificação de seu produto também é chave do sucesso. Além de cobrir seus custos fixos e os custos variáveis (os que variam conforme a quantidade de produtos vendidos/produzidos), ele deve contribuir também para sua colocação no mercado.

Seu público alvo e sua escala projetada de vendas são variáveis importantes para estabelecer seu preço. E, além disso, o estabelecimento correto de uma política comercial, englobando preço, descontos, volumes ideais de venda e prazo de vendas.

5. Tenha uma administração financeira eficiente

Lembre-se que em um empreendimento com mais de um sócio, aqueles que trabalham na empresa têm de ser remunerados pelo trabalho e pelo capital, e os que apenas investem fazem jus à remuneração de capital. Desta forma, o estabelecimento do pró-labore correto e a separação entre os recursos próprios e os recursos das empresas são pontos críticos.

Muitos empreendedores relevam a importância do controle financeiro em suas empresas. Assim, retirar dinheiro do caixa no final do dia ou usar cheque da empresa para despesas pessoais pode camuflar o real retorno de sua empresa, deixando-a desestabilizada em termos de controle e planejamento. A competitividade dos dias de hoje já não permite tais práticas, por isso uma boa planilha ou o acompanhamento de uma boa empresa contábil.

Avalie corretamente seu custo mensal, sua necessidade de capital de giro e o dinheiro que deve ser direcionado para investimentos. Fique atento aos empréstimos bancários, que têm custo elevado e devem ser usados apenas para o investimento produtivo.

6. Possua o real espírito empreendedor

Se você ainda acha que empreender é sinônimo de trabalhar menos e com horários mais flexíveis, repense isso. Empresários têm que estar dispostos a, por exemplo, sacrificar suas férias quando necessário, trabalhar mais de 8 horas por dia, ter noites mal dormidas. Resumindo: é muito trabalho, antes de colher o que você plantou.

Tudo o que você precisa saber sobre o MEI

Se você trabalha sozinho, de forma autônoma, já deve muitas vezes ter sentido a necessidade de uma formalização maior do seu negócio. Antigamente, era muito comum que profissionais “comprassem” notais fiscais de outros, quando precisavam emitir uma para realizar um trabalho. Mas desde 2009, quando a lei do MEI foi sancionada, muitas pessoas puderam empreender e sair da informalidade de uma forma muito mais simples e rápida. Está pensando em se encaixar nessa categoria e não sabe muito bem como funciona? Vamos explicar tudo para você!

Você sabe o que é MEI?

O MEI é a regularização de quem trabalha por conta própria. Sendo MEI, você vai ter um CNPJ, o direito de emitir notas fiscais, contribuir para sua aposentadoria e até contratar um funcionário para trabalhar com você. Em linhas gerais, o MEI não precisa de um contador fixo, embora algumas vezes seja indicado para deixar tudo organizado. Você vai pagar um imposto fixo por mês, de acordo com a sua atividade.

Se você se enquadra na categoria Comércio e Serviços, vai pagar R$ 52,85. Já quem está na categoria Prestação de Serviços, paga R$ 51,85.

Para saber se você pode ser cadastrado como MEI, é preciso analisar sua atividade e seu faturamento. Você pode faturar até R$ 60 mil anuais (a partir de 2018 esse valor vai subir para R$ 81.000,00). Também é preciso consultar a tabela de atividades que se enquadram no MEI.

Consulte a tabela aqui.

As profissões regulamentadas não se encaixam no MEI, justamente porque o programa foi desenvolvido para incluir na legalidade profissionais que não tivessem um sindicato de classe para representa-los.

Já sabendo de tudo isso, quais são os passos para abrir de fato o seu MEI?

Acesse o Portal do Empreendedor e depois clique em Formalização – Inscrição. Os documentos que você vai precisar são:

– CPF

– Título de Eleitor

– Número do recibo da entrega do IRPF

O procedimento é realmente bem simplificado dentro do site. Você vai precisar fazer a escolha da sua categoria e cadastrar seu endereço. Lembre-se de conferir bem a tabela e ver se a sua atividade se encaixa no formato MEI. Se não for o caso, talvez seja melhor você optar por abrir uma ME (Microempresa). Mas falaremos disso mais pra frente.

Imediatamente ao fim do cadastro você já recebe o seu Certificado de Condição de Microempreendedor Individual, que também serve como alvará provisório. Para providenciar o definitivo, você deve ir até a Prefeitura da sua cidade. Se sua categoria for um comércio, você também vai precisar fazer a inscrição estadual.

Com seu MEI funcionando plenamente, você precisa ficar atento a algumas obrigações, que são simples, mas precisam ser cumpridas. Todos os meses você precisa preencher o Relatório Mensal de Receitas e realizar o pagamento do imposto mensal. Uma vez por ano você é obrigado a fazer a Declaração Anual Simplificada.

E a Nota Fiscal?

Para a emissão de Nota Fiscal, você precisa consultar a Prefeitura da sua cidade para saber é o procedimento local. Algumas cidade já permitem a emissão de Nota Fiscal Eletrônica, que facilita muito o processo.

E o Imposto de Renda? Quem é MEI precisa declarar? Vamos por partes, pois isso é bem importante e gera muito conflito. Quem é MEI fica isento do pagamento do Imposto de Renda Pessoa Jurídica. Mas o de Pessoa Física precisa ser feito normalmente se você teve rendimentos superiores à R$ 1.903,98.

E a pegadinha desse sistema é que a Receita Federal considera isento de IRPF apenas parte dos seus rendimentos como MEI, então sempre vai sobrar uma quantia que precisa ser declarada.

É por isso que mesmo tendo um MEI, para não correr riscos, o mais indicado é que você conte com o serviço de um contador para que esse encaminhamento seja adequado e você não tenha problemas. A Conta Ágil oferece um serviço que se encaixa perfeitamente nessa necessidade. A rapidez, agilidade e custo de uma contabilidade online é ideal para quem é MEI. Pense nisso e faça um orçamento, antes de cair na malha fina por desconhecimento e falta de organização.

Para finalizar, vamos listar algumas curiosidades pontuais sobre o MEI de forma simplificada:

  • Você não tem custos para fazer o cadastro
  • Você pode ter até um funcionário com carteira assinada
  • Você não precisa ter um estabelecimento comercial. Sua empresa pode funcionar na sua própria casa.
  • Você pode escolher até 15 atividades simultâneas. A lista tem mais de 480 possibilidades.
  • Com um MEI, você pode participar de licitações públicas.